Brinquedos educativos - Brinquedos educativos têm função pedagógica e ainda seduzem crianças.
Empresários faturam com os produtos à moda antiga. Setor tem 20% do ramo de brinquedos que, em 2001, faturou R$ 4 bilhões.


Clique no link acima p/ ver o vídeo.

Brinquedos educativos têm função pedagógica e ainda seduzem crianças

Empresários faturam com os produtos ‘à moda antiga’.

Setor tem 20% do ramo de brinquedos que, em 2001, faturou R$ 4 bilhões.

O mercado de brinquedos é dominado pelos eletrônicos. Mas os educativos - simples e coloridos - ainda seduzem as crianças. Eles são brinquedos lúdicos, divertidos - feitos em tecido ou madeira - e também têm uma função pedagógica que garantem espaço entre a criançada e os adultos.

Num setor que movimentou R$ 4 bilhões em 2011, o brinquedo educativo representa 20% do mercado. Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq).

Segundo a pedagoga e especialista em brinquedos educativos, Titina Corso, este mercado é seletivo. “É um mercado que cresce a cada dia mais devido à conscientização, então as pessoas vão tomando uma consciência maior de que a educação para os seus filhos vem através do brincar e o brincar com mais qualidade interfere na educação com uma ludicidade maior e, consequentemente, aprendizados muitos mais ricos”, diz a pedagoga.

No Brasil, 90% dos brinquedos educativos são feitos por artesãos. Marcia Peruchi começou a produzir sem muito compromisso. Ela tem uma confecção de fantoches. São vários modelos que atraem as crianças pela cor e movimento

O número de pedidos cresceu e hoje ela tem um site na internet onde divulga os produtos.

Todas as vendas são por encomenda. Aliados a um marketing boca a boca, os brinquedos educativos se transformaram num bom negócio. “O brinquedo educativo tem uma boa procura (...). Tendo uma divulgação desses produtos em escolas, como eu utilizo no site, o professor passa para outro professor, dá para ter uma boa renda, sim”, explica.

Num mundo dominado pela tecnologia, a empresária Dora Latini fatura com brinquedos à moda antiga. São brinquedos educativos, artesanais, feitos em madeira ou tecido, e projetados para estimular a criatividade da criança.

“As avós são as pessoas que mais compram aqui na minha loja, então tem a ver, sim, eu acho que remete à brincadeira de rua, brincadeira de roda, brincadeira de criança, uma coisa bem bacana”, revela.

A empresária montou o negócio em 2007. Ela investiu R$ 80 mil em estoque de mercadorias, reforma e visual da loja.

Uma boa decoração tem de fazer brilhar os olhos das crianças. A loja é toda branca, para o colorido dos brinquedos sobressair. E eles estão no chão, na parede, até no teto. Um detalhe é que os brinquedos têm sempre um conteúdo de aprendizagem. Em um espaço, por exemplo, a criança segue o caminho da cor, em outro, veste um boneco, em outros, acerta argolas.

“É diferente porque estimula o raciocínio de uma maneira diferente à do vídeo game. Também há muitos brinquedos que ajudam a socializar as crianças (...). Acho que é bom que agrega”, avalia Sabrina Telo, mãe de Camila, de 2 anos, que se encantou com a loja.

Para montar uma loja de brinquedos educativos, primeiro é preciso garimpar produtos. A empresária Dora tem 200 fornecedores e nada menos que 5 mil itens de brinquedos.

“É uma coisa que a gente tem que estar sempre atualizado. Apareceu uma feira eu estou, eu gosto. Bazar é um trabalho de garimpo mesmo. E eu trabalho com algumas ONGs também, eu acho bacana esse trabalho”, explica.

Em geral, brinquedos que se movimentam atraem as crianças, como um pinguim que anda, um palhacinho que faz acrobacia ou um sapinho que pula. Mas é preciso agradar também aos pais e avós. E os preferidos deles são os brinquedos que estimulam o raciocínio e a coordenação da criança.

“Uma pescaria com o imã desenvolve a coordenação motora da criança e visual por ser colorido (...). Um alinhavo onde a criança também aprende a coordenação motora, ela vai aprender a costurar, trocando a roupinha da boneca e também desenvolve a criança para ajudar a amarra o ‘cadarço’”, diz a vendedora Sueli de Almeida.

A loja vende 600 brinquedos educativos por mês. O faturamento anual é de R$ 300 mil. Para a empresária, hoje esse tipo de brinquedo está na moda e a procura só tem a crescer.

“Alem de a gente estar no ano da sustentabilidade que é muito legal, muito bacana, eu acho que os pais estão mais conscientes da importância de brincar com o filho. Que brinquedo dar para o filho? Que conteúdo que tem nesse brinquedo? Por que de tudo isso? E com isso eu acho que o meu negócio vai crescer entre 10% a 20% é o que eu espero para este ano”.


Brinquedos educativos têm função pedagógica e ainda seduzem crianças
EMPRESA: VERDE LIMÃO
Contato: Empresária Dora Costa Latini
Rua Pio XI, 2312 – Alto De Pinheiros
São Paulo – SP – CEP: 05468-140
Telefone: (11) 3831-2641

MIMOS DA TITIA
Contato: Empresária Márcia Cristina Peruchi de Souza
Rua Faustino Siqueira Franco, 392 – Vila Marissi
Guarulhos – SP – CEP: 07130-190
Telefone: (11) 2404-5278
www.mimosdatitia.elo7.com.br
X
Comunicação, Publicidade - Revista Maçônica Virtual, mensal, fundada em 24/02/2007 - registro na ABIM e cerca de 30.000 leitores.
(35) 99198-7175 - TIM - Whats App -
facebook: RevistaArteReal, - - São Lourenço / Minas Gerais / Brasil - CEP
Falar com Ir:. Feitosa - editor responsável